Quem sou eu

Minha foto
MARAVILHOSA, Rio de Janeiro, Brazil
Diante de tanta contradição da vida, aprendi que devo ter alto astral acima de qualquer coisa!Eu nunca imaginei que seria pedagoga. Não me preparei para isso. Ela chegou sem que eu preparasse o seu caminho e por isso fiquei tão apaixonada. Essa é para mim a profissão mais linda e digna que existe... Sem sonharmos e idealizarmos algo melhor, nunca poderemos alcançar um diferencial.Essa é minha ideologia e não posso deixar que apaguem por não acreditarem que existe solução para a educação do nosso país,"Não,podemos viver sem ideologias, ter sucesso sem acreditar em valores fortes, concretos,lutar por nossos objetivos sem acreditar que eles serão alcançados,almejar uma vida de realizações soterrando nossas verdadeiras crenças.Tenha suas ideologias muito bem definidas e paute sua vida sobre elas. Não tenha medo do que os outros vão pensar se você está realmente convicto no que acredita ser o certo,não tenha medo de fracassar embasado nelas, aprenda que neste mundo nada é absolutamente ruim ou bom e que sempre,terá que defender suas escolhas e pagar por elas." Eu estou consciente pela escolha que fiz na minha vida profissional,e você?

Seguidores

visitas

Contatos pessoais

e-mail pessoal:
luciana.moraesmaluf@gmail.com

Msn1:
lucianammaluf@hotmail.com
Msn2:
pedlumoraes@hotmail.com
Este espaço é algo criado por mim para dividir, com todos que, assim como eu, adoram de fato o que fazem dentro da educação, um pouco do que pesquiso na internet e também do que tenho de material voltado à esta área que de fato sou louca de paixão.

Peço desculpas pela demora em atualizar os conteúdos.

No mais, a todos que visitam este blog, espero que até o momento tudo que há de conteúdo esteja sendo agradável.

Com carinho,

Lu Moraes
contato: luciana.moraesmaluf@gmail.com
msn: pedlumoraes@hotmail.com

“Ninguém começa a ser educador numa certa terça-feira às quatro horas da tarde. Ninguém nasce educador ou marcado para ser educador. A gente se faz educador, a gente se forma, como educador, permanentemente, na prática e na reflexão sobre a prática”

(Paulo Freire, em “A educação na cidade”)

“Ser professor é um privilégio. Ser professor é semear em terreno sempre fértil e se encantar com a colheita. Ser professor é ser condutor de almas e de sonhos, é lapidar diamantes" Gabriel Chalita

Traduzir página

Eu fico com a pureza da resposta das crianças: a vida é bonita.
Viver e não ter a vergonha de ser feliz.
Cantar e... cantar e ...cantar a eterna beleza de ser aprendiz.
Eu sei que a vida devia ser bem melhor. E será.
Mas issoo impede que eu repita: é bonita, é bonita, é bonita!
(Gonzaguinha).
"Há os que adquirem conhecimento pelo valor do conhecimento - e isto é vaidade de baixo nível. Mas há os que desejam tê-lo para edificar outros - e isto é amor. E há outros que o desejam para que eles mesmos sejam edificados - e isto é sabedoria." - (Bernardo de Claraval)
"Todas as postagens que não são de minha autoria é dado o devido crédito e citado a fonte, até porque quando se copia algo de alguem a intenção não é fazer plágio, e sim divulgar as informações para um maior número de pessoas favorecendo assim o conhecimento."
Lucia Araújo/cc: Luciana Moraes

sábado, 16 de março de 2013

COMO ENSINAR CRIANÇAS

 

As pessoas têm como base três estilos de aprendizagem. 

Visual, Auditivo e cinestesico dependendo da vivência da pessoa na infância, ela da foco maior para uma das três formas de aprendizagem (podendo também haver um equilíbrio entre as três).

Auditivo (ou linguístico) - A pessoa consegue aprender melhor através de uma estruturação verbal de palavras. Isso pode tanto ser ligado a ouvir histórias, ouvir a explicação do professores, como em ler textos. As pessoas que são mais auditivas, respondem muito melhor a estímulos linguísticos. 

É importante saber que isso não significa que a pessoa terá facilidade de escrever um texto, por exemplo. Um analfabeto pode ser auditivo. Isso apenas significa que ele processa mais facilmente as informações que ele escuta do que as que ele vê. 

Para uma pessoa auditiva, o relato de um filme, a descrição em palavras de uma situação, o planejamento através de palavras, tudo isso tem um valor muito grande. Como a maior parte da educação tradicional está voltada para lousa e fala, então essas pessoas tendem a lidar bem com o aprendizado. Mesmo que elas achem alguma matéria chata, mesmo que se distraiam sempre, elas tem facilidade para compreender o que lhes está sendo falado.

 

Visual - A pessoa possui mais facilidade para compreender algo através de estímulos visuais. Ou seja, para ela é muito mais fácil compreender um gráfico do que uma sequência numérica. É muito mais importante as ilustrações e fotos do que os textos em si. A forma como o professor dispõe as palavras na lousa, em forma de mapa conceitual por exemplo, pode facilitar (ou dificultar) o aprendizado. 

Para uma pessoa visual, recursos como filmes, vídeos, charges, mapas, são indispensáveis. As vezes, um mesmo texto, sem os recursos visuais em anexo, pode ser incompreensível, mas bastam alguns exemplos visuais para o aprendizado (e o interesse) serem mais bem desenvolvidos. No cotidiano do aprendizado, hoje em dia, é muito importante que os professores consigam recursos visuais sempre que possível, pois o nosso mundo está repleto destes apelos visuais, o que torna a pessoa visual facilmente distraída por outros estímulos visuais, pois o foco de sua atenção de aprendizado está nas imagens, e não nas palavras.


Cinestésica - A pessoa possui mais facilidade de aprendizado através da interação física com objetos. Para elas, tanto a fala, como as imagens podem fazer menos sentido do que uma interação pessoal. Neste caso, aulas como as de laboratório, de educação física, ou mesmo as que os professores possam trazer objetos para serem manuseados, terá muito mais informações disponíveis, do que a aula tradicional. Isso não significa que a pessoa consiga se expressar com facilidade através de seu corpo. É importante lembrar que essa divisão em três formas de aprendizado, não está diretamente ligada à questão das inteligências múltiplas.

 Explicada a diferença entre as formas de aprendizado, agora fica mais fácil perceber dentro da sala de aula as variedades de pessoas que existem e com isso respeitar cada uma delas. Sei que é complicado para uma única professora acabar desdobrando o ensino em várias formas, em vários métodos. Creio que, o sucesso do aluno depende muito da boa vontade do professor e da escola em permitir que o educador faça o melhor para o aluno. Eu defendo a "carta branca" para os professores dentro de sala de aula.

Luciana Moraes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

GOSTARIA DE SABER O QUE ACHOU DESTE ARTIGO!

Nem especial, nem regular, nem pra "normais", nem pra "deficientes"...apenas educação, porque chegará o dia que educação será uma coisa só.

Visualizações de páginas da semana passada