Quem sou eu

Minha foto
MARAVILHOSA, Rio de Janeiro, Brazil
Diante de tanta contradição da vida, aprendi que devo ter alto astral acima de qualquer coisa!Eu nunca imaginei que seria pedagoga. Não me preparei para isso. Ela chegou sem que eu preparasse o seu caminho e por isso fiquei tão apaixonada. Essa é para mim a profissão mais linda e digna que existe... Sem sonharmos e idealizarmos algo melhor, nunca poderemos alcançar um diferencial.Essa é minha ideologia e não posso deixar que apaguem por não acreditarem que existe solução para a educação do nosso país,"Não,podemos viver sem ideologias, ter sucesso sem acreditar em valores fortes, concretos,lutar por nossos objetivos sem acreditar que eles serão alcançados,almejar uma vida de realizações soterrando nossas verdadeiras crenças.Tenha suas ideologias muito bem definidas e paute sua vida sobre elas. Não tenha medo do que os outros vão pensar se você está realmente convicto no que acredita ser o certo,não tenha medo de fracassar embasado nelas, aprenda que neste mundo nada é absolutamente ruim ou bom e que sempre,terá que defender suas escolhas e pagar por elas." Eu estou consciente pela escolha que fiz na minha vida profissional,e você?

Seguidores

visitas

Contatos pessoais

e-mail pessoal:
luciana.moraesmaluf@gmail.com

Msn1:
lucianammaluf@hotmail.com
Msn2:
pedlumoraes@hotmail.com
Este espaço é algo criado por mim para dividir, com todos que, assim como eu, adoram de fato o que fazem dentro da educação, um pouco do que pesquiso na internet e também do que tenho de material voltado à esta área que de fato sou louca de paixão.

Peço desculpas pela demora em atualizar os conteúdos.

No mais, a todos que visitam este blog, espero que até o momento tudo que há de conteúdo esteja sendo agradável.

Com carinho,

Lu Moraes
contato: luciana.moraesmaluf@gmail.com
msn: pedlumoraes@hotmail.com

“Ninguém começa a ser educador numa certa terça-feira às quatro horas da tarde. Ninguém nasce educador ou marcado para ser educador. A gente se faz educador, a gente se forma, como educador, permanentemente, na prática e na reflexão sobre a prática”

(Paulo Freire, em “A educação na cidade”)

“Ser professor é um privilégio. Ser professor é semear em terreno sempre fértil e se encantar com a colheita. Ser professor é ser condutor de almas e de sonhos, é lapidar diamantes" Gabriel Chalita

Traduzir página

Eu fico com a pureza da resposta das crianças: a vida é bonita.
Viver e não ter a vergonha de ser feliz.
Cantar e... cantar e ...cantar a eterna beleza de ser aprendiz.
Eu sei que a vida devia ser bem melhor. E será.
Mas issoo impede que eu repita: é bonita, é bonita, é bonita!
(Gonzaguinha).
"Há os que adquirem conhecimento pelo valor do conhecimento - e isto é vaidade de baixo nível. Mas há os que desejam tê-lo para edificar outros - e isto é amor. E há outros que o desejam para que eles mesmos sejam edificados - e isto é sabedoria." - (Bernardo de Claraval)
"Todas as postagens que não são de minha autoria é dado o devido crédito e citado a fonte, até porque quando se copia algo de alguem a intenção não é fazer plágio, e sim divulgar as informações para um maior número de pessoas favorecendo assim o conhecimento."
Lucia Araújo/cc: Luciana Moraes

sexta-feira, 29 de abril de 2011

IV Congresso Nacional de Filosofia e Educação


O evento, promovido por colégios da Rede Notre Dame, acontecerá no Colégio Notre Dame Ipanema, nos dias 15 e 16 de julho deste ano e tem como tema “Diálogos Filosóficos” que trará aos congressistas palestras, debates e paineis sobre as possibilidades de interação da Filosofia nas áreas do conhecimento: Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas.

Dr.Clovis de Barros Filho, um dos grandes nomes no cenário nacional de Filosofia, já é um dos palestrantes confirmados no evento. Ele possui graduação em Direito pela USP, graduação em Jornalismo pela Casper Líbero, mestrado em Science Politique – Universite de Paris III (Sorbonne-Nouvelle) e doutorado em Ciências da Comunicação pela USP (2002), obteve a Livre-Docência pela Escola de Comunicações e Artes da USP (2007).  Outros nomes confirmados: Dr. Charles Feitosa, Dr. Jose Abdalla Helayël e Dr. Miguel Angel Barrenechea.

Outra presença confirmada é a de Eisnten!
 
A apresentação teatral da peça Einsten, da Cia.Teatral Arte e Ciência no Palco, vencedora do Prêmio Mambembe da Funarte em 1998 de Melhor Ator.  A peça humaniza o mito e percorre os vários aspectos da personalidade do gênio, do jeito engraçado como narra sua infância à dor de sua desatenção familiar e sua vocação solitária. Alcança o ápice quando trata da relação ciência e poder, compondo com íntima dramaticidade a história do maior cientista do século 20. Veja o que a crítica fala da peça: “Einstein Vive!” (VEJA – Rio, Débora Ghivelder), “Um gênio mais próximo de todos nós.” (O GLOBO, Bárbara Heliodora), “Uma interpretação brilhante e comovente.” (VEJA – SP)

Programação completa do Congresso de Filosofia


Das 7:30 às 8h- Acolhida e credenciamento

Das 8h às 8:30 – Abertura: Oração e “Teatrofilô” com a Cia. Teatral Notre Dame

Das 8:30 às 9h – Mesa de abertura para início dos trabalhos – Direção, Autoridades, Equipe de Filosofia Notre Dame e coordenação do evento

Das 9h às 11h– Palestra com o Prof. Dr. Clovis de Barros Filho

O que significa filosofar? ou O que é filosofar? 

 Em sua palestra, Prof. Clóvis, um dos mais solicitados palestrantes filosóficos do país, apresentará de uma forma ampla e abrangente o que vai ser delimitado nas demais ciências no dia seguinte, ou seja, a essência do pensamento filosófico, discutindo sua especificidade e suas características, além de sua relevância e urgência.

Clóvis de Barros Filho possui graduação em Direito pela Universidade de São Paulo (1986), graduação em Jornalismo pela Faculdade de Comunicação Social Casper Líbero (1985), mestrado em Science Politique – Universite de Paris III (Sorbonne-Nouvelle) (1990) e doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (2002). Obteve a Livre-Docência pela Escola de Comunicações e Artes da USP (2007). Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Teoria e Ética do Jornalismo, e Teoria e Ética da Publicidade atuando principalmente nos seguintes temas: ética, comunicação, habitus, jornalismo e publicidade.

Das 11h às 11:30 – Intervalo

Das 11:30 às 12h  – Diálogo sobre a palestra de abertura com Prof. Dr. Clovis de Barros Filho

Das 12h às 13:30 – Almoço

Das 14h às 15:30 – Espetáculo Teatral: EINSTEIN – da Cia Teatral Arte e Ciência no Palco

O premiado espetáculo EINSTEIN completa 12 anos no Brasil e já esteve em mais de 350 cidades brasileiras. ”Tudo que é dito na peça é historicamente do EINSTEIN”. A peça humaniza o mito e percorre os vários aspectos da personalidade do gênio, do jeito engraçado como narra sua infância à dor de sua desatenção familiar e sua vocação solitária. Alcança o ápice quando trata da relação ciência e poder, compondo com íntima dramaticidade a história do maior cientista do século 20. Enquanto se veste para um jantar, Einstein conversa com a platéia em tom intimista. Em dúvida se faz um discurso ou se toca violino ele acaba revelando, com simplicidade e bom humor, seu processo criativo, suas teorias, seu relacionamento familiar, suas dificuldades escolares e o domínio nazista na Alemanha de 1930. Discute o poder e a ciência, a ética e faz um libelo contra o terror das guerras e toda a forma de opressão e violência.
  • PRÊMIO MAMBEMBE (1998/Funarte) MELHOR ATOR Carlos Palma
  • “Einstein Vive!” (VEJA – Rio, Débora Ghivelder)
  • “Um gênio mais próximo de todos nós.” (O GLOBO, Bárbara Heliodora)
  • “Uma interpretação brilhante e comovente.” (VEJA – SP)
  • “Um jogo seguro do ator que resiste a tentação de brilhar mais que o personagem.” (JT)
  • “É impressionante como parece o próprio Einstein.” (Jô Soares)
  • “Imperdível.” (TV CULTURA – Metrópolis)
  • “Faz olhar velhos problemas sob um novo ângulo.” (TRIBUNA JUDÁICA)
Das 15:30 às 17h- Oficinas e Comunicações
Das 17h às 17:30 - Intervalo
Das 17:30 às 19h - Oficinas e Comunicações


Das 8h às 8:30– Abertura / Oração
Das 8:30 às 9h – “Tetrofilô” – Cia Teatral Notre Dame
Das 9h às 11h– Conferências por área:
  • Filosofia, Literatura e Arte – Prof. Dr. Charles Feitosa UNIRIO
    “A Arte de Ensinar com Arte”
    Resumo: Parto do pressuposto de que os problemas de ensino (tanto no nível fundamental, médio ou superior) tocam sempre a questão do encontro entre a filosofia e a não-filosofia. Por “não-filosofia” entenda-se não somente os estudantes em geral, mas também o senso comum, a religião, a arte e as demais ciências…. Em geral espera-se que o encontro seja unilateral, isto é, que a transformação só se dê no lado de quem aprende, mas o ideal do encontro deveria apontar para uma transformação dos dois pólos, como um encontro assimétrico entre desiguais. No encontro com o outro, ao contrário, sou obrigado muitas vezes a rever minhas posições e a enriquecer meus pontos de vista sobre o que ensino. Especialmente o encontro entre a filosofia e as artes traz riscos para ambos os lados: o filósofo quer às vezes apenas usar a arte como exemplo luxuoso para fins de atestação de seus argumentos. O artista, por sua vez, quer, às vezes, apenas dar uma aparência de densidade conceitual às suas obras através de empréstimos apressados de determinadas idéias filosóficas. Um quer que o outro trabalhe para si. Penso que será preciso escapar dessas duas atitudes e é no contexto dessas questões que proponho uma reflexão acerca da “arte de ensinar com arte”.
     
  • Charles Feitosa é Doutor em Filosofia pela Universidade de Freiburg i. B. (Alemanha), professor e pesquisador do DFCS (Departamento de Filosofia e Ciências Sociais) e do PPGAC (Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas) da UNIRIO, além de autor, entre outros, do livro “Explicando a Filosofia com Arte” (Ediouro, Rio de Janeiro, 2004). Atualmente é professor e pesquisador no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e vice-coordenador da graduação em Filosofia da UNIRIO. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Estética moderna e contemporânea, atuando principalmente nos seguintes temas: arte, memória, finitude, corpo, cultura pop, dança e feiúra.
  • Filosofia e Ciências da Natureza – Prof. Dr. Jose Abdalla Helayël Neto
    ”A Visão de Universo da Física Contemporânea e Novos Desafios ao Debate da Filosofia”.
    Resumo:
    A busca pela compreensão da composição e da estrutura da matéria em suas instâncias submicroscópicas indica a existência de 4 campos de forças fundamentais na Natureza. Na tentativa de compreendê-las, modelos e teorias vêm sendo formulados nos últimos 80 anos e, em anos mais recentes, uma corrente principal aponta para a idéia de uma Grande-Unificação, que propõe uma origem comum para estes distintos campos de força e estabelece a existência de um regime primordial no qual uma única interação domina nos processos da Natureza. Com o projeto de uma unificação, novas concepções entram em cena: dimensões espaciais adicionais, categorias de matéria radicalmente diferentes das matérias atômica e nuclear conhecidas e outras modalidades de radiação responsável por um Universo que se expande aceleradamente. Os mais recentes avanços da teoria levam-nos a um Universo multidimensional, cuja arquitetura espaço-temporal está sendo desenhada juntamente com a história que se está escrevendo de uma Ciência onde teoria e experimentçãso estão revendo os seus papéis, redifinindo as suas prioridades e estabelecendo um novo modo de se proceder cientificamente.

  •  
  •  
  • Possui Graduação (BSc, 1975) e Mestrado (MSc, 1978) em Física pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Magister Philosophiae em Física (MPh) pela International School for Advanced Studies in Trieste (1981) e PhD em Física, também pela International School for Advanced Studies in Trieste (1983), onde trabalhou no Grupo do Prof. Abdus Salam sob a orientação do Prof. J. J. Strathdee. Realizou seus estágios de Pós-Doutoramento no Abdus Salam International Centre for Theoretical Physics (ICTP), na International School for Advanced Studies in Trieste (SISSA), na Università degli Studi di Trieste e no Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF/MCT), onde é, atualmente, Pesquisador Titular III, alocado na Coordenação de Física Experimental de Altas Energias (LAFEX). É Membro Efetivo e Coordenador Científico do Grupo de Física Teórica José Leite Lopes (GFT – JLL), participando também da Coordenação Científica da Aprendanet-Petrópolis. Tem experiência na área de Física, com ênfase em Teoria Geral de Partículas e Campos, concentrando-se principalmente nos tópicos: Supersimetria/Supergravidade, Teorias de Yang-Mills em Dimensões Arbitrárias e Aspectos Perturbativos das Teorias Quânticas de Campos. No CBPF, concentra grande parte de seu tempo nas atividades de ensino e formação, ministrando cursos e orientando estudantes de Mestrado e Doutorado no Programa de Pós-Graduação da Instituição e graduandos em Programa de Iniciação Científica no CBPF. O pesquisador dedica também parte de seu tempo à pesquisa e ao ensino na área da Educação, com foco na Educação em Periferias Urbanas, trabalhando em projetos de pesquisa e extensão que focalizam a Educação Científica, a Divulgação das Ciências, a Orientação Vocacional e o Ensino em Cursos de Pré-Vestibular Comunitários voltados para as classes populares. No Núcleo de Petrópolis e em alguns Núcleos do Rio de Janeiro ensina as disciplinas de Física Geral, Química, Introdução à Mecânica Quântica, Introdução à Física de Partículas/Modelo-Padrão e Ciência-Cultura-Cidadania.
  • Filosofia e Matemática – Prof. Dr. Rodolfo Petrônio
    “A Matemática e o Mundo”
    Resumo: Diz a lenda que Denis Diderot, Enciclopedista e ateu, em visita à imperatriz russa Catarina, a Grande, teve de retirar-se da corte envergonhado quando Leonhard Euler, o genial matemático, escreveu algumas fórmulas matemáticas ininteligíveis e concluiu, “Portanto, Deus existe”. Mas, será Deus objeto da matemática? Esta curta história visa apenas motivar as seguintes questões: Qual o alcance da matemática, especialmente da física-matemática? Seria de natureza ontológica, a saber, a ciência, por meio da matemática, descortinaria uma essência da realidade? Seria de natureza puramente epistemológica, a saber, dar-nos-ia tão-somente algum tipo de conhecimento limitado sobre o mundo? E, se for este o caso, que tipo de conhecimento seria? Bem, as perguntas nos mostram o quão complexas, conquanto extraordinariamente relevantes, podem vir a ser as respostas com respeito à relação da matemática com o mundo, assim como definir que domínio de objetos está em jogo ao se investigar esta relação. A palestra, claro, sequer pretende rascunhar as respostas, mas apenas mostrar o quão atual e necessário se faz buscar respondê-las.
     
  • Possui graduação em engenharia naval pela UFRJ (1980), mestrado em filosofia pela UFRJ (2004), e doutorado em filosofia pela PUC-Rio (2008). Realizou estágio pós-doutoral na UERJ entre 2009 e 2010. Atualmente é chefe do Departamento de Filosofia e Ciências Sociais (DFCS) da UNIRIO e líder do Grupo de Estudos em Filosofia e Ontologia da Natureza, certificado pela UNIRIO no CNPq.
  • Filosofia e Ciências Humanas – Profa. Dra.Valéria Wilke
    “Da (in)utilidade da Filosofia para a História: um olhar lançado sobre a contemporaneidade”
    Resumo: Fim da História, esgotamento do tempo histórico, tendência à valorização extremada do instante e do agora – sintomas de uma época, nossa época, aspectos presentes em análises da contemporaneidade: provocações que a Filosofia tem diante de seus olhos nos tempos atuais. O que a perspectiva filosófica tem a dizer sobre elas?
    Professora Adjunta do Departamento de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/Unirio. Doutora em Ciência da Informação pelo Instituto brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia/UFF (2009). Mestre em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1996). Bacharel e licenciada em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1991). Bacharel em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (1984). Tem experiência na área de Filosofia, atuando principalmente nos seguintes temas: filosofia e informação, epistemologia e teoria do conhecimento, história e filosofia da ciência, texto fílmico, educação, memória e leitura. 
  • Diretora da Faculdade de Filosofia da Unirio.
  • Filosofia e Pedagogia – Prof. Dr. Miguel Angel Barrenechea
    “Filosofia e Educação - De uma Pedagogia do Universal a uma Pedagogia da Singularidade.”
     
  • Resumo: Nesta conferência, meu objetivo é refletir sobre algumas das principais orientações da educação do ocidente, partindo da concepção pedagógica platônica – tal como é desenvolvida em A república -, cujo objetivo é impor um modelo educativo, pretensamente válido para todos, em todo tempo e lugar, para analisar posteriormente a perspectiva nietzschiana de educação. Na teoria do filósofo alemão, poderemos perceber uma concepção de formação que, longe de propor a universalidade dos critérios educativos – como na república ideal platônica -, conclama a realização do mais singular de cada discente, convoca ao desafio de “chegar a ser o que se é”.

  •  
    Possui Graduação em Filosofia – Universidad Nacional de La Plata (1978), Mestrado em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1991), Doutorado em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1998) e Pós-doutorado em Filosofia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (2006). Atualmente é Professor Associado 2 da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, atuando como docente e pesquisador nos Programas de Pós-Graduação em Memória Social e Educação e no Departamento de Filosofia e Ciências Sociais. É Coordenador de Disciplina, bolsista da Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Rio de Janeiro (CECIERJ/CEDERJ) . Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Nietzsche, atuando principalmente nos seguintes temas: Nietzsche, memória, tragédia, educação, ética e arte. Autor de Nietzsche e o corpo (RJ: 7 Letras, 2009); Nietzsche e a liberdade (RJ: 7 Letras, 2008); Organizador de:As dobras da memória (RJ: 7 Letras, 2008); Co-organizador de: Nietzsche e os gregos (RJ: DP &A, 2006); A fidelidade à terra (RJ: DP&A, 2003); Memória e Espaço. Trilhas do contemporâneo (RJ: 7 Letras, 2003); Para uma filosofia do futuro (RJ: 7 Letras, 2001); Assim falou Nietzsche II (RJ: Relume Dumará: 2000); Assim falou Nietzsche (RJ: 7 Letras: 1999). Está concluindo a organização de: Nietzsche e as ciências, que será lançado pela 7 Letras em abril 2011.
Das 10:30 às 11h – Intervalo
Das 11h às 12:30 – Mesa Interdisciplinar de Conclusões e Participações
Às 12:30 – Encerramento
*Programação sujeita a alteração.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

GOSTARIA DE SABER O QUE ACHOU DESTE ARTIGO!

Nem especial, nem regular, nem pra "normais", nem pra "deficientes"...apenas educação, porque chegará o dia que educação será uma coisa só.

Visualizações de páginas da semana passada